© 2017 por Carla Tennenbaum

São Luiz do Paratinga / São Paulo -  Brasil

DESIGN CIRCULAR

Trabalho com a valoração de materiais desde 1999, quando comecei a experimentar com a construção de objetos a partir de um novo olhar sobre matérias-primas descartadas ou subvalorizadas.

Passei mais de 10 anos pesquisando e desenvolvendo tecnologias para oferecer novas vidas a resíduos, especialmente os de EVA - Etil Vinil Acetato, ou Etileno Acetato de Vinila, um material não-reciclável cujas sobras de corte lotam lixões e aterros sanitários às toneladas. ​Esse processo proporcionou muito aprendizado e reflexão sobre o desperdício de materiais nos processos industriais, e o lugar do meu trabalho neste universo. Ainda que sem pretensão de apresentar técnicas artesanais como solução efetiva ou definitiva para resíduos industriais (o buraco é mais embaixo!), me apropriei desse trabalho como meio criativo de chamar atenção para o problema, e demonstrar formas mais inteligentes de produção. Assim fui desenvolvendo e refinando minha própria metodologia para criar e produzir objetos, extraindo o valor máximo dos resíduos em questão, selecionando criteriosamente os materiais secundários a serem utilizados, e prezando por técnicas de encaixe, que facilitassem o conserto, desmontagem e remontagem de produtos. 

Em 2008, entrei em contato com o livro-manifesto Cradle to Cradle: remaking the way we make things, escrito pelo arquiteto americano William McDonough e pelo engenheiro químico alemão Michael Braungart. Essa leitura foi fundamental para meu desenvolvimento como designer, confirmando percepções da minha trajetória até então, e abrindo a porta para uma nova compreensão das transformações necessárias em nossos modelos de produção. Desde então, venho me aprofundando na metodologia Cradle to Cradle (C2C), ou do Berço ao Berço, que propõe encarar os materiais como nutrientes para ciclos técnicos ou biológicos. Seguindo essa lógica cíclica, que é a lógica dos sistemas naturais, é possível ir além da ideia convencional de sustentabilidade como minimização de danos (o que é menos ruim?), para desenhar produtos e sistemas benéficos para o ser humano e a biosfera, eliminar o conceito de lixo e manter os materiais em circulação no máximo de seu valor. 

(para saber mais sobre isso: o que é Cradle to Cradle/C2C?)

  

A partir de 2014 comecei a trabalhar em parceria com a Léa Gejer, fundadora da flock, que atua no Brasil como representante do EPEA, a agência alemã de Michael Braungart. Considerado o ‘berço’ do Cradle to Cradle, desde 1987 o EPEA vem atuando na inovação industrial através do design e engenharia química, desenvolvendo a metodologia que veio a se consolidar no livro que tanto me impactou, lançado em 2002.

De lá para cá, a proposta C2C vem ganhando cada vez mais atenção internacionalmente, especialmente nos últimos anos a partir da promoção da ideia de uma Economia Circular (em oposição ao atual modelo linear de extração-produção-descarte), que vem ganhando cada vez mais adeptos no plano civil, governamental e corporativo. A Economia Circular se baseia na metodologia C2C de reconhecimento de ciclos técnicos e biológicos para a criação de sistemas industriais restaurativos.

 

Para que isso aconteça, é preciso ir além do gerenciamento de resíduos tradicional, focando no design inovador de processos que eliminem o conceito de lixo. Por isso a ideia de um Design Circular, que traga desde a concepção de qualquer produto o princípio de manter materiais, componentes e produtos em circulação com valor maximizado, prezando pela qualidadeintencionalidade, efetividade e inovação.

No Brasil, essas ideias estão começando a ser discutidas e adotadas por alguns agentes pioneiros. Para contribuir para esse processo, Léa e eu criamos em 2015 o projeto Ideia Circular. Nosso objetivo é disponibilizar bibliografia de qualidade sobre o assunto na língua portuguesa, traduzindo alguns textos-chave, e gerando conteúdo original adaptado ao contexto brasileiro.

 

Temos feito várias palestras, cursos e oficinas sobre o assunto, presenciais e também online, e estamos preparando um processo extensivo para apoiar designers, empreendedores e startups que querem aplicar princípios de Design Circular e inovação do Berço ao Berço nos seus produtos. 

Interessou? Deixe seu contato abaixo para receber notícias das atividades do Ideia Circular.